Distimia.

Mau humor e pessimismo.

Quando o mau humor e o pessimismo tornam-se uma doença!

Sabe aquela pessoa ranzinza, chata e meio pessimista?

Pois então, essa pessoa pode ter uma doença chamada DISTIMIA.

Caaalma lá, preste muita atenção no que vou dizer. Não é porque a pessoa é ranzinza e pessimista que terá DISTIMIA, pessoas negativas ou “reclamonas” vão existir sempre ao nosso lado, porém quando falarmos nessa patologia estaremos tratando de casos extremos. Onde até em situações favoráveis o distímico vê problema.

Deixe-me dar um exemplo:

Vamos pensar naquela pessoa que você convida para ir à uma formatura. Muitas vezes essa pessoa nem vai aceitar, por conta da esquiva social, no entanto vamos pensar que ele aceitou.

Antes de chegar ao jantar o individuo já reclamou do trajeto, congestionamento, distância e tudo que “tem direito”. Mas ok, você respira fundo e pensa que ao chegar as coisas vão estar melhores e o seu amigo não terá do que reclamar ( bobiiiinho você hein),mal está começando o show, de repente começam os pitacos do amigo, dizendo que a comida que todos adoraram está fria e insossa, sabe a música que os outros cantam empolgados em meio a sorrisos, ele ouve e diz ser irritante, aí começam os flertes e o mesmo esbraveja colocando defeito em todas pessoas presentes. Bom, quando você acha que não terão mais reclamações, pois está na hora de irem embora descansar, vem ele com dor de cabeça porque o som estava muito alto, fome porque não gostou da comida e lamurias por ter saído de casa naquela noite.

É meu caro, não é fácil, eu sei. Só de ler já deu vontade de mandar à …. né!!!

Esse quadro é mais comum do que possa imaginar, a DISTIMIA abrange mais ou menos 6% da população mundial. Muitas vezes a pessoa “aprende” a conviver com a patologia.

Por se tratar de uma doença crônica,a maioria dos indivíduos só procura um profissional quando estão em um nível maior da depressão.

Sim é isso mesmo que você leu, a DISTIMIA é uma DEPRESSÃO Crônica, em que a pessoa fica sem estímulos, tudo parece chato, motivação é palavra de luxo no dia a dia, faltam perspectivas, planos ,mas mesmo assim ela vai sobrevivendo. Parece que a vida da pessoa é sempre cinza, nem tão preto, nem tão branco.

Para podermos diagnosticar uma pessoa distímica é necessário que ela esteja vivendo neste padrão deprimido a pelo menos dois anos.

Conseguimos observar durante esse período deprimido a presença desses sintomas:

· Pouca energia ou fadiga (parece preguiça, mas não é).

· Aumento exagerado ou diminuição do sono:

· Tem pouco apetite ou hiperfagia ( vontade de comer um boi e tudo que vê pela frente),

· Autoestima rebaixada, quase nula (não se vê importante pra nada, nem ninguém).

· Extrema dificuldade em tomar decisões difíceis.

· Concentração assustadoramente baixa.

· Pensamentos negativos pra tudo.

· Irritabilidade acentuada

· Crítico de tudo e mais um pouco.

· Um mau humor do cão.

A DISTIMIA pode surgir na infância ou idade adulta, no entanto devo alertar que é mais comum que apareça na adolescência e com isso seja confundida por muitos pais como parte da famosa “aborrecência”.

Terão situações em que junto a psicoterapia será necessário a intervenção medicamentosa, os antidepressivos podem dar um empurrãozinho com as questões fisiológicas, não que seja regra e precise da medicação.

Caso tenha se identificado com o texto não hesite em procurar um psicólogo.

Meus contatos estão no site:

www.psicologobuenojr.com.br

Abraço,

Bueno Jr.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *