Sentir ciúmes é normal?

Quando se trata de relacionamento fica impossível não falar do campeão de queixas aqui no consultório. Aposto que acertei o que lhe veio à mente. SIIIM… o CIÚME. Se você já esteve em uma relação dominada por ele, sabe o quanto este sentimento é capaz de gerar conflitos e até destruir um romance. Mas até que ponto esse sentimento pode ser normal? Confira:

CIÚME “NORMAL”

ciume

Longe de querer apontar o que é ou não normal, me refiro à forma mais comum do ciúme. Nesse caso, geralmente o ciúme surge em momentos breves e PASSAGEIROS. A pessoa pode estar se sentindo insegura, cogitando a possibilidade do seu companheiro sentir atração, admiração e desejo por uma terceira pessoa. Assim como ele surge instantaneamente, também desaparece e não provoca desconforto significativo ao companheiro e à relação.

CIÚME “DEMASIADO”

ciume

Ele acontece quando a pessoa já é INSEGURA em diversos campos da vida, tem medo de ficar sozinha e, a baixa autoestima “reforça” um sentimento de incapacidade. Pode haver ou não um motivo, geralmente acontece do indivíduo fantasiar situações ou promover atitudes que causam sofrimento ao companheiro. Na maioria das vezes a pessoa tem explosões repentinas, muda de humor rapidamente e ainda tenta projetar no outro a CULPA pelo seu comportamento. Logo em seguida, a culpa e a frustração vêm à tona. O desespero pra consertar a situação é diretamente proporcional ao exagero do ciúme.

CIÚME “PATOLÓGICO”

ciume

Corresponde à pessoa que tem pensamentos indesejáveis, involuntários, repetitivos e até absurdos sobre a infidelidade. Ela vive numa interminável BRIGA INTERNA entre o real e a fantasia, em que os pensamentos passam a ser irracionais. A certeza de estar sendo enganado proporciona ações como ficar na espreita quando o companheiro sai do trabalho, virar madrugadas de tocaia na frente da casa do seu parceiro, investigar todos seus contatos do celular ou redes sociais, ameaçar pessoas que se aproximam do seu amado e por aí vai.

E A FALTA DELE?

ciume

Engana-se quem acha que o ciúme só prejudica quando é demais. Se ausente, também pode complicar a vida do casal. O que pra um pode ser sinônimo de segurança, para o outro pode soar como descaso e indiferença.

 

Aprender a se relacionar sem a necessidade do controle te dá a chave que te liberta das angústias e dúvidas que travam um relacionamento “saudável”. Assim, ambos podem compartilhar momentos felizes, sem abrir mão da individualidade. Garanto que se você estiver realmente disposto a mudar essa situação, irá conseguir. Agende seu horário e vamos juntos resgatar sua confiança e o respeito pelo próximo. Não bote tudo à perder pra depois ter que consertar.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *