O que fazer com essa tal de ansiedade?

O que fazer com essa tal de ansiedade?

Este texto é para você, a ansiedade em pessoa, que não consegue esperar o micro-ondas terminar o ciclo (afinal, aqueles últimos 3 segundos não iam fazer diferença mesmo). Para você, que simplesmente defende que a vida é muito curta para esperar remover o hardware com segurança. Que sente todo o universo se desalinhando caso a pessoa marque um horário contigo e atrase ou não apareça. Para uma pessoa ansiosa, isso é tortura.

“Preciso te contar uma coisa, mas só posso falar amanhã”. Com certeza, essa frase também já fez desabar o mundo de muitos que sofrem de ansiedade. Se você tem algum amigo ou conhecido que adora falar isso, acredite: ele não faz isso para te ver mal. Mas é que nem todo mundo, infelizmente, entende como as coisas funcionam dentro da cabeça de alguém ansioso.

Seja bem-vindo à mente do ansioso: um lugar agitado, cheio de pensamentos rápidos, respiração ofegante, mente acelerada e pernas balançando. A ansiedade é um problema comum que afeta muitas pessoas. Contudo, o grau varia de caso a caso. Por isso, precisa ser observada com cautela, evitando que se transforme em Transtorno de Ansiedade Generalizada, popularmente chamada de TAG.

Mas não precisa entrar em pânico agora, vou explicar tudo com calma e bem devagar. O objetivo é esclarecer no que consiste esse distúrbio e como tratá-lo corretamente para que isso não prejudique a sua vida.

A origem do problema

Dizem que de médico e louco todo mundo tem um pouco. Eu diria que de médico, louco e também ansioso, todo mundo tem um pouco. A ansiedade é uma forma do sistema nervoso preparar o corpo para a ação, é um meio pelo qual a mente lida com algo novo.

Acontece que, em termos evolutivos, faz muito pouco tempo que deixamos as cavernas. Naquela época, o perigo e o medo eram constantes, e esse mecanismo de alerta era fator de sobrevivência da espécie. A parte mais primitiva do nosso cérebro é programada para desconfiar do novo, fazendo com que tudo o que seja fora do familiar soe como uma possível ameaça.

Hoje não precisamos mais nos preocuparmos com ataques repentinos de tigres dente-de-sabre, nem com grupos de Neandertais armados de lanças querendo tomar o território. Entretanto, essas preocupações agora se transformaram em emprego, casamento, filhos, ser o melhor em tudo, produzir muito em pouco tempo, etc. Isso faz com que a pressão social exija sempre mais do indivíduo, podendo desencadear quadros de insegurança perante situações com as quais não sabemos lidar.

O que fazer com essa tal de ansiedade?

Sintomas da Ansiedade

Mas como saber se a ansiedade deixou de ser algo “normal” e passou a um quadro mais crônico? Primeiro, atentando-se aos sintomas. Depois, procurando a ajuda de um profissional, como um psicólogo. Ele poderá fazer o diagnóstico e traçar o processo terapêutico mais adequado a cada paciente.

Normalmente, os pacientes que apresentam transtornos de ansiedade, relatam sentir vários sintomas. Dentre eles, eu cito:

Sentimentos de pânico, medo e desconforto;

Pensamentos incontroláveis obsessivos;

Pensamentos repetidos ou flashbacks de experiências traumáticas;

Pesadelos e dificuldade para dormir;

Comportamentos ritualísticos, como lavar as mãos repetidas vezes;

Frio ou mãos e/ou pés suados;

Falta de ar e dificuldade para respirar;

Palpitações;

Uma incapacidade de ficar quieto e calmo;

Boca seca;

Dormência ou formigamento nas mãos ou pés;

Náusea;

Tensão muscular;

Tontura.

O diagnóstico

O que fazer com essa tal de ansiedade?

O diagnóstico de ansiedade generalizada é feito, geralmente, quando a pessoa se queixa de sintomas consecutivos por mais de seis meses. Então, se você costuma ficar inquieto, com pensamento acelerado e com aquela sensação que poderia disputar uma corrida com o Usain Bolt e vencer, talvez seja a hora de marcar uma consulta com um especialista.

Mesmo que muitas pessoas digam que a sua dificuldade de concentração possa ser preguiça, lá no fundo você sabe que não é isso. É apenas a sua mente que não consegue desligar e fica em uma espécie de loop infinito, processando o mesmo pensamento várias vezes e fazendo com que desempenhar outras tarefas seja difícil.

Por isso, procurar ajuda é o melhor meio de retomar a sua produtividade e lidar com o dia a dia de forma mais segura, sem dar “bug” na cabeça.

Cuidando da Ansiedade

O tratamento da ansiedade pode necessitar uma intervenção medicamentosa com ansiolíticos ou antidepressivos, isso irá depender do grau que a patologia estiver instalada no indivíduo. O mais importante nesse processo é o paciente ter ciência que não existe pílula mágica e, inevitavelmente, será preciso um trabalho em conjunto com psicoterapia. Enquanto os medicamentos atuam nos sintomas, restabelecendo a parte fisiológica, a terapia será fundamental para agir na causa e preparar a pessoa para conviver com situações corriqueiras que normalmente desencadeariam uma crise de ansiedade.

Também existem meios naturais que são excelentes amparos a curto prazo, para aqueles momentos mais complicados que você precisa se acalmar a todo o custo, mas o seu cérebro teima em fazer o contrario. Nesses casos, aposte em um suco de maracujá ou chá de camomila, exercícios de relaxamento, respiração. Um banho quente e uma ótima massagem apresentam efeitos relaxantes para o corpo, então vale apostar neles também.

No entanto, como eu já mencionei, procurar a ajuda de um psicólogo é imprescindível. O profissional ajudará a pessoa, por meio de técnicas e estratégias, a compreender e lidar com a ansiedade. Nas sessões são ensinadas “táticas” para reconhecer e mudar padrões de pensamento; com isso, você aprenderá a driblar certos comportamentos que desencadeiam a sentimentos incômodos da sua ansiedade.

O que fazer com essa tal de ansiedade?

Ansiedade na visão da Psicologia

O que fazer com essa tal de ansiedade?

Para alguns estudiosos, a ansiedade é encarada como uma necessidade real do nosso organismo que não está sendo satisfeita. Por isso, para que a pessoa consiga tratar a ansiedade, primeiro é fundamental que seja descoberto quais são esses anseios. Para outros, a ansiedade trata-se de um bloqueio do potencial criativo e espontâneo que precisa ser liberado.

Imagine que você possui uma enorme fonte de energia dentro de você. Essa energia é fundamental para lidar com as situações do dia a dia, como criatividade, resiliência, improviso, paciência, segurança, etc. Agora, essa fonte de energia encontra-se trancada dentro de si mesmo e, diante uma situação desesperadora, o corpo fica procurando uma forma de usá-la, porém sem sucesso.

Por meio de ensaios lúdicos, como jogos e teatro de espontaneidade, é possível ampliar a consciência sobre o estado que está causando esse bloqueio. Além disso, é possível simular, em um ambiente totalmente seguro, as situações que causam medo e pânico; desta forma, o indivíduo aprende a lidar e superar tais empecilhos.

Eu posso lhe ajudar com a ansiedade

Se você percebe que a ansiedade está atrapalhando sua rotina e trazendo sofrimento, venha ao meu consultório para batermos um papo! Juntos, podemos descobrir maneiras de aliviar esse peso e trazer de volta a qualidade de vida tão almejada! Clique no link abaixo para marcar um horário:

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *